Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11690/569
Authors: Ferrari, Valdecir
Title: Avaliação química de insumos agrícolas obtidos a partir da compostagem de resíduos de uva
Keywords: Insumos agrícolas orgânicos;Insumos agrícolas organominerais;;Caracterização química de subprodutos da vinificação;Caracterização química de subprodutos da avicultura;Caracterização química de subprodutos do arroz;Caracterização química de pó de rocha basáltica e da turfa;Insumos Beifort®
Issue Date: 2015
Publisher: Unilasalle
Citation: FERRARI, Valdecir. Avaliação química de insumos agrícolas obtidos a partir da compostagem de resíduos de uva. 2015. 113 f. Dissertação (Mestrado em Avaliação de Impactos Ambientais) - Centro Universitário La Salle, Canoas, 2015 Disponível em: http://hdl.handle.net/11690/569. Acesso em: 19 jul. 2016.
Abstract: A indústria da uva, mais especificamente a vitivinicultura, é geradora de subprodutos ricos em nutrientes, que são subutilizados e muitas vezes acabam sendo poluidores do meio ambiente. Estes subprodutos são o bagaço, o engaço e a semente da uva, na proporção de 20% da uva industrializada, ou seja, são mais de 100.000 toneladas/ano só na serra gaúcha. A utilização dos subprodutos da vitivinicultura na produção de insumos é uma atividade pioneira no Brasil, e possivelmente no mundo. Este estudo é uma caracterização dos produtos originados pela compostagem deste rico material, com o objetivo de caracterizar sua disponibilidade de nutrientes e possíveis contaminantes. Além do subproduto da vitivinicultura, neste projeto pioneiro na serra gaúcha foram usados e estudados subprodutos da avicultura (camas de aviário), subprodutos agrícolas (cascas de arroz queimadas e carbonizadas e cinza da queima da madeira do eucalipto), subproduto da mineração do basalto (pó de rocha retirado por ciclones) e turfas nacionais peneiradas em peneiras de malhas de 0 a 7 mm e de 3 a 7 mm. Foram analisadas as concentrações de nutrientes orgânicos, macro e micronutrientes, nutrientes importantes para a agricultura e contaminantes conforme CONAMA 420 e MAPA. As análises foram feitas nos subprodutos e matérias primas utilizados; nos produtos finais da linha Beifort®, tanto o adubo orgânico normal e com certificação orgânica e o substrato, sólidos, e nos fertilizantes organominerais 867 e 645 AHF, líquidos. Concluiu-se que o subproduto da industrialização da uva possui ótimos níveis de cargas orgânicas e uma boa quantidade de elementos minerais importantes às plantas. No entanto, no decorrer da compostagem, ocorre a concentração nos compostos sólidos finais de Cu e Cr, fatores limitantes para a certificação orgânica. Já os extratos líquidos, apesar de não carregarem grandes concentrações de nutrientes, apresentam um mínimo de elementos considerados contaminantes. As camas de aviário foram as maiores fornecedoras de nutrientes, inclusive de micronutrientes, mas com alta concentração de Zn, Cu, Cr e As. O pó de rocha tem disponibilidade de nutrientes satisfatória, e apresenta a maioria dos elementos de interesse analisados em boas concentrações, porém com nível de As, relativamente alto. A casca de arroz não demonstrou representar fonte importante de nutrientes e em termos gerais, o Cr é único contaminante cuja concentração ultrapassa os limites da certificação orgânica. A cinza da queima da lenha de eucalipto é ótima fonte de macro e micronutrientes, porém de uso limitado pelo pH alto e pela presença de Cr e As. As turfas não são fornecedoras significativas de nutrientes, no entanto seu pH baixo é interessante nas misturas com outros compostos orgânicos, normalmente de pH alto. Somente nas turfas mais finas o Cr apresenta níveis pouco acima dos limites. Nos produtos finais apenas o adubo orgânico não certificado apresentou concentrações de Zn, Cu e Cr acima dos níveis permitidos para a certificação orgânica, no entanto a seleção de misturas de insumos resolveu o problema. Nos demais produtos da linha Beifort®, em especial os produtos líquidos, a presença de contaminantes é irrelevante e as cargas orgânicas e nutrientes medidas são satisfatórias. As comparações de contaminação foram em relação à concentração total, como estabelece a legislação existente. Quanto à solubilidade em água dos possíveis contaminantes, nas amostras que foi analisada a solubilidade dos contaminantes constatou-se que o Cr e o As apresentam solubilidade praticamente nula, já o Cu e o Zn em alguns casos a solubilidade chega próximo a quatro por cento.
metadata.dc.contributor.advisor: Taffarel, Sílvio Roberto
Appears in Collections:Dissertação (PPGAIA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
vferrari.pdf2.63 MBpdfView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.