Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11690/855
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSpagiari, Matheus Souzapt_BR
dc.date.accessioned2018-07-30T18:41:46Z-
dc.date.available2018-07-30T18:41:46Z-
dc.date.issued2014-
dc.identifier.citationSPAGIARI, Matheus Souza. Análise do comportamento de Klebsiella oxytoca CIP 79.32 em soluções contendo cromo hexavalente. 2014. 61 f. Dissertação (Mestrado em Avaliação de Impactos Ambientais) - Centro Universitário La Salle, Canoas, 2014 Disponível em: http://hdl.handle.net/11690/855. Acesso em: 8 ago. 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11690/855-
dc.description.abstractCom o aumento do desenvolvimento tecnológico e industrial, uma grande quantidade de contaminantes, tanto de caráter industrial, quanto agrícola vem aumentando no Brasil nas últimas décadas. Inúmeras técnicas visam diminuir as agressões, que esses provocam ao meio ambiente. Infelizmente, tais técnicas por si só não são suficientes para o controle da degradação sofrida pelos recursos naturais. A biorremediação pode ser considerada como um novo processo para o tratamento de áreas impactadas mediante o uso de microrganismos capazes de modificar ou decompor poluentes agressivos ao ambiente. O presente trabalho expõe um estudo do comportamento de Klebsiella oxytoca CIP 79.32 em soluções contendo cromo hexavalente. Este foi diluído em caldo BHI como fonte de carbono, juntamente com dicromato de potássio numa concentração de 300 mg L-1 , no qual o efluente foi utilizado para averiguação da curva de crescimento e quantificação da redução num intervalo de sete dias à 32oC. Para atividade da enzima cromato-redutase no meio extracelular foram utilizadas três concentrações de cromo: 75, 150 e 300 mg L-1 à 32oC por 48 horas. Foi possível observar um crescimento ótimo da linhagem bacteriana no efluente contaminado e, como consequência, houve uma redução na taxa do íon metálico presente nos inóculos, numa média de 93%. Entretanto, o microrganismo, não apresentou nenhuma atividade enzimática no meio extracelular. Com os resultados obtidos, a aplicação da linhagem de Klebsiella oxytoca CIP 79.32 em processos de biorremediação é aconselhável, visto a grande taxa de redução de cromo hexavalente.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherCentro Universitário La Sallept_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectImpactos ambientaispt_BR
dc.subjectÍon cromo hexavalentept_BR
dc.subjectKlebsiella oxytoca CIP 79.32pt_BR
dc.subjectCromato— redutase.pt_BR
dc.titleAnálise do comportamento de klebsiella oxytoca cip 79.32 em soluções contendo cromo hexavalentept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisorBizani, Delmarpt_BR
dc.degree.localCanoas - RSpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Avaliação de Impactos Ambientais - PPGAIApt_BR
dc.publisher.countryBRpt_BR
Appears in Collections:Dissertação (PPGAIA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
msspagiari.pdf1.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.