Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11690/633
Authors: Trojahn, Luciane de Melo Gonçalves
Title: Laboratório de informática como espaço de acessibilidade e mediação na aprendizagem dos alunos de inclusão
Keywords: Aprendizagem;Interação;Mediação;Inclusão;Laboratório de Informática;Acessibilidade;Tecnologias Assistivas
Issue Date: 2016
Publisher: Centro Universitário La Salle
Abstract: A pesquisa está inserida na Linha de Pesquisa Culturas, Linguagens e Tecnologias na Educação, do Programa de pós-Graduação em Educação, do Centro Universitário La Salle – UNILASALLE. A temática desenvolvida refere-se às Tecnologias Assistivas e à mediação no Laboratório de Informática em escolas municipais, para a acessibilidade adequada nesses ambientes, com o objetivo da inclusão. O referencial teórico abordado neste estudo tem a finalidade de concatenar as informações a respeito das implicações tecnológicas na sociedade atual com o papel da escola nesse contexto de aprendizagem, interação e mediação, a partir da teoria de Vygotsky. As TIC’s são abordadas na perspectiva de Sancho e Hernández e o espaço do Laboratório de Informática com as ideias de Galvão Filho e Santos. Também são mencionadas as legislações sobre inclusão e acessibilidade e, por fim, este trabalho discorre sobre recursos de Tecnologia Assistiva com base nas autoras Bersch e Santarosa. Então, refletimos sobre as seguintes indagações: Quais as ações realizadas nos Laboratórios de Informática do Ensino Fundamental das escolas da rede municipal de Canoas que contribuem para a acessibilidade e o desenvolvimento do processo de aprendizagem do aluno de inclusão? Como isso ocorre e por quê? Para poder investigar essas questões, utilizamos a metodologia de estudo de caso, de natureza qualitativa, que engloba observação e entrevistas. Os dados coletados são analisados por meio da metodologia de análise de conteúdo. Assim, evidenciamos que as práticas pedagógicas com base em um envolvimento colaborativo e cooperativo na aprendizagem, são essenciais para o trabalho com alunos de inclusão. Uma proposta que: não seja centrada no professor e sim na aprendizagem do aluno, seja interdisciplinar e priorize a ação e a interação do aluno. Nessa nova prática pedagógica, o Laboratório de Informática necessita ser integrado como mais um espaço de aprendizagem, para contribuir de forma significativa, através do uso da tecnologia, de maneira contextualizada. Salientamos a necessidade de uma política de governo orçamentária para o investimento em manutenção, acessibilidade, aquisição de softwares, equipamentos e adaptações (Tecnologias Assistivas), de acordo com a realidade dos alunos de inclusão das instituições escolares, bem como na formação pedagógica dos professores, para auxiliarem na construção dessa nova prática educativa.
The research is inserted in the Cultures, Languages and Technologies Research Line in Education, in the Graduate Program in Education, of the La Salle University Center – UNILASALLE. The developed theme concerns the Assistive Technologies and the mediation done in the Computer Laboratory in municipal schools, as well as the need for adequate accessibility in this environment, for inclusion. The theoretical background discussed in this study is intended to concatenate the information about the technological implications in today’s society, the school’s role in this context of interaction, learning and mediation, from Vygotsky’s theory. ICTs are addressed in the perspective of Sancho & Hernández, and the Computer Lab space with the ideas of Galvão Filho and Santos. The Laws of inclusion and accessibility are also mentioned and, finally, this study discusses Assistive Technology Resources based on the authors Bersch and Santarosa. Then, we reflect on the following questions: What are the actions carried out in Elementary Education Computer Labs of municipal schools in Canoas that contribute to the accessibility and the development of the learning process for the inclusion student? How does it happen and why? In order to investigate these issues, we use the case-study methodology with a qualitative nature, encompassing observation and interviews. Collected data are analized through the content analysis methodology. This way, we highlight that the pedagogical practices based on cooperative and collaborative involvement are essential to the work with inclusion students. A proposal that is not centered on the teacher but on student learning, and interdisciplinary, that prioritizes student’s action and interaction. In this new pedagogical practice, the Computer Laboratory needs to be integrated as an additional space for learning, to contribute significantly through the use of technology in the development of this concept. We emphasize the need for a government budget policy for investment in repairs, accessibility, purchase of software, equipment and adaptations (Assistive Technologies), according to the reality of inclusion students from school institutions, as well as in pedagogical training for teachers to assist in the construction of this new educational practice.
metadata.dc.contributor.advisor: Backes, Luciana
Appears in Collections:Dissertação (PPGE)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
lmgtrojahn.pdf1.65 MBpdfView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.