Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11690/1923
Authors: Pereira, Mallú
Title: Cesta básica brasileira: composição nutricional, comparativo com a ingestão dietética de referência e sua relação com o salário mínimo nacional
Keywords: Cesta básica;Salário mínimo;Composição nutricional;Pesquisa de preços
Issue Date: 2020
Publisher: Universidade La Salle
Citation: PEREIRA, M. Cesta básica brasileira: composição nutricional, comparativo com a ingestão dietética de referência e sua relação com o salário mínimo nacional. 2020. 12 f. Trabalho de Conclusão (graduação em Nutrição) - Universidade La Salle, Canoas, 2020. Disponível em: http://hdl.handle.net/11690/1923. Acesso em: 03 ago. 2021.
Abstract: A Constituição do Brasil institui que a alimentação faz parte dos Direitos e Garantias Fundamentais, que o País compromete-se a garantir. O Decreto-Lei nº 399 de 1938, vigente até os dias atuais estabeleceu uma lista de provisões composta por 13 itens alimentícios e suas quantidades, julgadas suficientes para garantir o sustento e bem estar de um trabalhador adulto. Essa lista ficou conhecida como Cesta Básica de Alimentos e é uma das variáveis que compõem a fórmula para estipular o valor do salário mínimo. Esse estudo teve como objetivo analisar os valores nutricionais, verificar os preços e avaliar o impacto da Cesta Básica no orçamento doméstico dos cidadãos da cidade de Canoas/RS que recebem um salário mínimo. Para a análise nutricional, foram utilizadas tabelas de composição centesimal de alimentos e avaliados através de comparação com a Ingestão Dietética de Referência (DRI – Dietary Reference Intake). O valor energético total foi calculado em 3461 kcal, sendo 64,1% provenientes de carboidratos, 14,97% de proteínas e 20,9% de lipídios. Ferro, Cálcio e Fósforo atingiram 21,09 mg/dia, 580,18 mg/dia e 1897,46 mg/dia, respectivamente. A avaliação orçamentária foi realizada através de pesquisas de preço em 3 supermercados da cidade. O custo médio da Cesta Básica em Canoas foi apurado em R$ 505,03, representando 48,33% do salário mínimo vigente. Os alimentos e quantidades sugeridas pelo Decreto-Lei nº 399/1938 não atinge todas as Ingestões Dietética de Referência, além de apresentar um excesso calórico para o atual perfil profissional e estilo de vida da população brasileira atual. Evidenciou-se a necessidade de revisão na legislação para adequar-se ao cenário econômico e de trabalho atual.
metadata.dc.contributor.advisor: Koglin, Gabriela
Appears in Collections:Trabalhos de Conclusão de Graduação (Nutrição)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
mpereira.pdfOpen Access328.11 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.