Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11690/3256
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorGoldmeier, Gabriela-
dc.date.accessioned2022-08-29T16:39:34Z-
dc.date.available2022-08-29T16:39:34Z-
dc.date.issued2022-
dc.identifier.citationGOLDMEIER, G. Memória organizacional na Associação Cultural Vila Flores e seu legado sociocultural. 2022. Dissertação (mestrado em Memória Social e Bens Culturais) - Universidade La Salle, Canoas, 2022. Disponível em: http://hdl.handle.net/11690/3256. Acesso em: 29 ago. 2022.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11690/3256-
dc.description.abstractO objetivo desta dissertação de mestrado foi o de construir um guia sobre a comunidade criativa denominada Associação Cultural Vila Flores (ACVF), do ponto de vista da análise de sua memória organizacional. A ACVF possui importância para a proposta de revitalização do Quarto Distrito de Porto Alegre, promovendo a inclusão cultural da comunidade. Foi realizada uma pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso, onde foram entrevistadas dez pessoas, incluindo diretores da ACVF, gestores culturais, ‘vileiros’ e público externo, bem como sistematizados documentos. Os dados foram analisados segundo a Análise de Conteúdo. Os resultados das análises indicaram a importância da memória e da gestão patrimonial para a ACVF, resultado de ações autoconscientes, inclusivas e vinculadas aos espaços locais e regionais protagonizadas pelos irmãos Antônia e João Wallig (diretores), compreendidos como uma unidade empreendedora geracional. A análise da memória organizacional da ACVF indicou que há cuidados com a aquisição de informações, as quais são guardadas e arquivadas; porém evidenciaram-se dificuldades para organizar tantas informações, transformando-se quase que em uma ‘caixa de Pandora’; mas evidenciou-se facilidade para a transferência de informações, as quais não são disponibilizadas de maneira mais estratégica. Observa-se como característica da gestão um esforço para relacionar os fatos e acontecimentos do passado de maneira a vincular os membros do grupo, baseando-se em seu passado coletivo, o que pode gerar um sentido de pertencimento aos grupos e à comunidade da ACVF. Esse sentido de pertencimento, pode ser efeito de uma liderança socialmente empreendedora efetivada pelos irmãos diretores, os quais, a partir da valorização do que eles denominam como memória familiar (centrada na sua avó D. Maria Luiza Flores) formaram uma unidade geracional, entendidos como subgrupos com forte qualidade autorreferencial, com senso de conexão uns com os outros, gerando um legado sociocultural que tende a persistir e a ter longevidade. Finalmente foi colocado à disposição da ACVF o guia da sua memória organizacional, no qual 312 atividades que ocorreram de 2013 a 2021 foram sistematizadas em mais de 200 páginas. Espera- se que sirva para a melhoria da gestão e das decisões da ACVF.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade La Sallept_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectGestão culturalpt_BR
dc.subjectMemória socialpt_BR
dc.subjectMemória organizacionalpt_BR
dc.subjectAssociação Cultural Vila Florespt_BR
dc.titleMemória organizacional na Associação Cultural Vila Flores e seu legado socioculturalpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisorBorges, Maria de Lourdespt_BR
dc.degree.localCanoas, RSpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Memória Social e Bens Culturaispt_BR
dc.publisher.countryBRpt_BR
dc.contributor.advisorcoMangan, Patrícia Kayser Vargaspt_BR
Appears in Collections:Dissertação (PPGMSBC)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ggoldmeier.pdfOpen Access1.49 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.