Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11690/706
Authors: Moreira, Daisson Lacerda
Title: Aspectos epidemiológicos da malária no Rio Grande do Sul
Keywords: Malária;epidemiologia;parasitologia;mortalidade
Issue Date: 2017
Publisher: Centro Universitário La Salle
Abstract: A malária é um problema de saúde de grande impacto, devido cerca de 40 % da população mundial residir em áreas endêmicas. Ocorre principalmente na África – onde estão 80 % dos casos de óbito por malária - no Sudeste Asiático e na Região Amazônica da América do Sul. Em 2015, houve 214 milhões de pessoas acometidas com malária no planeta, e 438 mil mortes. Nesse mesmo ano, ocorreram 660 mil casos de malária nas Américas do Sul e Central e houveram 500 óbitos em decorrência da malária. No Brasil, durante o ano de 2013, houveram 178.546 casos confirmados de Malária, 2355 hospitalizações e 41 óbitos em decorrência da doença. O Plasmodium spp., causador da doença é transmitido pela picada do mosquito fêmea do gênero Anopheles. O quadro clínico é caracterizado por episódios repetidos de febre, calafrios, tremores e cefaleia, caracterizando períodos de latência e recaídas. O Rio Grande do Sul apresentou casos autóctones de malária, até o ano de 1968. Porém, uma parte do seu território está dentro da Mata Atlântica, onde ocorre a presença do mosquito Anopheles cruzii, e assim, compõe um cenário favorável para o ressurgimento dessa doença. O trabalho teve como objetivo principal, descobrir e relatar o perfil dos pacientes notificados com malária no Rio Grande do Sul. Foram pesquisados dados demográficos, sobre as cidades de moradia, sexo, faixa etária, provável local da infecção, ocupação, e dados relativos ao exame parasitológico. Utilizaram-se os dados do Sistema Nacional de Agravos de Notificação – SINAN e o programa Tabwin 32. A incidência de malária no RS permaneceu estável no período de estudo (0,397 por 100.000 hab). Entre os casos notificados (todos importados), observaramse 83 % de homens, 47 % com idade entre 20 e 49 anos, predomínio da raça branca e ocupação mais frequente motorista. O Plasmodium vivax foi a espécie mais frequente encontrada nos exames de gosta espessa. O entendimento da epidemiologia da malária é fundamental para as estratégias de controle. As migrações e ocupações requerendo viagens constantes são fatores que contribuem para a manutenção da ocorrência de casos importados de malária no RS. O conhecimento do perfil do paciente e a adequada suspeição clínica são essenciais para um melhor manejo diagnóstico e terapêutico da doença. Ainda que a incidência de doença seja baixa, uma vigilância atenta é necessária considerando-se a presença do vetor e indivíduos doentes nessa região.
Malaria is a major health problem, with around 40% of the world's population living in endemic areas. It occurs mainly in Africa - where 80% of malaria deaths occur - in Southeast Asia and the Amazon Region of South America. By 2015, there were 214 million people affected by malaria on the planet, and 438,000 deaths. That same year, there were 660,000 cases of malaria in South and Central America and there were 500 deaths from malaria. In Brazil, during the year of 2013, there were 178,546 confirmed cases of malaria, 2355 hospitalizations and 41 deaths due to the disease. Plasmodium spp., The cause of the disease is transmitted by the bite of the female mosquito of the genus Anopheles. The clinical picture is characterized by repeated episodes of fever, chills, tremors and headache, characterizing periods of latency and relapse. Rio Grande do Sul presented autochthonous cases of malaria until 1968. However, part of its territory is within the Atlantic Forest, where the presence of the Anopheles cruzii mosquito occurs, and thus, it forms a favorable scenario for the resurgence of this disease. The main objective of this study was to identify and report the profile of patients with malaria in Rio Grande do Sul. Demographic data were searched on the cities of residence, sex, age, probable place of infection, occupation, and data on Parasitological examination. Data from the National System of Notifiable Diseases - SINAN and the Tabwin 32 program were used. The incidence of malaria in RS remained stable during the study period (0.397 per 100,000 inhabitants). Among the reported cases (all imported), 83% of men, 47% between 20 and 49 years of age, predominantly Caucasian race and more frequent driver occupation. Plasmodium vivax was the most frequent species found in thick taste tests. Understanding the epidemiology of malaria is central to control strategies. Migrations and occupations requiring constant travel are factors that contribute to the maintenance of the occurrence of imported cases of malaria in RS. Knowledge of the patient's profile and adequate clinical suspicion are essential for a better diagnostic and therapeutic management of the disease. Although the incidence of disease is low, close surveillance is necessary considering the presence of the vector and sick individuals in this region.
metadata.dc.contributor.advisor: Falci, Diego Rodrigues
Appears in Collections:Dissertação (PPGSDH)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
dlmoreira.pdf2.7 MBUnknownView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.