Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11690/841
Authors: Santos, Anna Catherine Graebin dos
Title: Relação dos níveis de classificação nutricional e de autodeterminação para a prática regular de atividade física: um estudo em escolares de 12 a 15 anos do município de Canoas/RS e Sapucaia/RS
Keywords: Motivação;Adolescentes;Excesso de peso;Atividade física;Teoria da Autodeterminação
Issue Date: 2015
Publisher: Centro Universitário La Salle
Abstract: O tema do presente estudo, baseado na Teoria da Autodeterminação (DECI E RYAN, 2000), é a motivação para a prática de atividades físicas em estudantes adolescentes de 12 a 15 anos classificados com diferentes classificações nutricionais (Eutrofia, Sobrepeso e Obesidade). Considerando os altos níveis de inatividade física e de excesso de peso encontrados entre adolescentes e o quão prejudiciais são estas condições para a saúde, é importante conhecer o nível de motivação intrínseca para a prática de atividades físicas em adolescentes eutróficos, com sobrepeso e obesos. Para tanto, o objetivo geral da pesquisa foi analisar o nível de Motivação Intrínseca para prática de atividade física em estudantes adolescentes de 12 a 15 anos em sua relação com o Índice de Massa Corporal (IMC). Especificamente, foram descritas as variáveis IMC, Sexo e Prática de Atividade Física fora do contexto escolar e a Motivação Intrínseca foi descrita de acordo com estas variáveis. Após, estas relações foram testadas para verificar se houveram diferenças estatisticamente significativas nas relações. Para medir a Motivação Intrínseca, foi aplicado o Inventário de Autodeterminação de Praticantes de Atividades Físicas e Esportivas – (BALBINOTTI, 2008). O instrumento, com 44 itens, respostas em escala tipo Likert graduada em 5 pontos, partindo de “(1) Discordo Fortemente” a (2) “Concordo Fortemente”. Também foi aplicado o Questionário de Identificação das Variáveis de Controle (QIVC) e as medidas corporais de Peso e Estatura para o cálculo do IMC. A pesquisa foi aplicada em 267 escolares (116 meninos e 151 meninas) entre 12 e 15 anos, estudantes do ensino fundamental de escolas de Canoas e Sapucaia (cidades da região metropolitana de Porto Alegre/RS). Com relação às variáveis de controle, a prevalência de Sobrepeso na amostra foi de 19,9% e a de Obesidade 11,2%. A inatividade física fora da escola é de 32,2% (21,6% eutróficos, 8,2% sobrepeso e 2,2% obesos) da amostra total, não havendo diferenças entre os grupos quanto à prática de atividade física. Entre os sexos, porém, há diferença quanto a esta prática (meninos 18,1% de inativos, e meninas 43% de inativas). Quanto a Motivação Intrínseca, o grupo Eutrófico ( χ =94,36) apresenta maior nível de motivação, seguido dos grupos Obeso ( χ =92,03) e Sobrepeso ( χ =87,72). Quanto à relação da motivação com o Sexo, o Sexo Masculino ( χ = 97,41) é significativamente mais motivado que o Sexo Feminino ( χ = 89,23). Entre os praticantes e não praticantes a diferença também é significativa, sendo os Praticantes ( χ = 97,06) mais intrinsecamente motivados que os Não Praticantes ( χ = 83,79). Os resultados, em geral, corroboram o que indica a literatura recente na área, com exceção da alta Motivação Intrínseca do Grupo Obeso, e da ausência de diferença quanto a prática de atividade física fora da escola entre os 3 grupos de classificação nutricional.
The theme of the present study, based on Self Determination Theory (DECI, RYAN, 2000), is the motivation for practice of regular physical activities (RPA) in adolescents aged 12 to 15 years classified in different Body Mass Index (BMI) levels (normal weight, overweight and obesity). Considering the high levels of physical inactivity and excess weight found in adolescents and how dangerous they are to health, is important to know the level of Intrinsic Motivation (IM) for physical activities among these individuals. The goal of this study was to analyze the level of Intrinsic Motivation for the practice of RPA in adolescent students and its relation to their BMI. More specifically, describe BMI, sex, and RPA practices outside the school environment. IM was described according to these variables and the relations between IM and these variables were tested whit SPSS 20.0. To measure IM we used the Inventário de Autodeterminação de Praticantes de Atividades Físicas e Esportivas – (BALBINOTTI, 2008), BMI measures and a questionnaire for the control variables. The study was applied in 267 students (116 boys and 151 girls) aged between 12 and 15 years, studying in middle schools in the cities of Canoas and Sapucaia/RS. Result showed the prevalence of excess weight to be high (19,9% overweight and 11,2% obesity). For both sexes, the distribution of BMI was similar. The prevalence of physical inactivity outside school is of 32,2% in the total sample. There are no differences in this variable when comparing BMI groups, but when comparing sexes, girls where significantly more inactive then boys. The levels of IM where higher in the normal weight group ( χ =94,36), followed by the obese ( χ =92,03) and overweight groups ( χ =87,72), and the statistical difference was found only between normal weight and overweight groups. Boys ( χ =97,41) where more intrinsically motivated than girls. Adolescents who practiced physical activities ( χ =97,06) regularly in leisure time where more intrinsically motivated then those who didn’t ( χ =83,79). The results corroborate recent studies in the field, with the exception of the high Intrinsic Motivation found in the obese group, and the similarity in RPA practice outside school between the BMI groups. These findings are relevant, especially for Physical Educators working among adolescents.
metadata.dc.contributor.advisor: Saldanha, Ricardo Pedrozo
metadata.dc.contributor.advisorco: Filippin, Lidiane Isabel
Appears in Collections:Dissertação (Saúde e Desenvolvimento Humano)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
acgsantos.pdf1.86 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.